Como nos livrar do sentimento de culpa?

QUAIS OS MOTIVOS QUE NOS LEVAM A TER FILHOS?

O que seria de nós sem eles? Filhos são almas que nos foram emprestadas para que possamos evoluir como seres humanos. Com eles aprendemos a ter mais paciência (e como), conseguimos demonstrar o amor que habita a nossa alma e provamos como é possível o amor incondicional.

Claro que têm momentos que fazemos coisas que nos arrependemos, mas isso faz parte da caminhada e do aprendizado. Nos tornamos mães sem qualquer curso superior, vamos pelo instinto, sem saber se o que estamos fazendo está certo ou errado, mas no final das contas, o que queremos é apenas uma coisa: ACERTAR.

E quem é mãe sabe o que isso tudo acarreta, o velho sentimento de culpa, cuja palavra vem grudada com a palavra mãe desde o nascimento do filho. Aliás como diz Leandro Karnal, a palavra culpa faz parte da nossa cultura.

SENTIMENTO DE CULPA

Mas fique sossegada, você não é a única a sentir-se dessa maneira, aliás eu não conheço nenhuma mãe que não sente-se culpada por alguma coisa: ou porque trabalha demais e não tem tempo para o filho. Ou ela não trabalha fora e esse tempo a mais com eles a faz perder a paciência muitas vezes (ficar com filho o dia todo não é nada fácil). Ou porque deveria ter amamentado por mais tempo, ou por ter amamentado tempo demais. Não importa, a culpa sempre nos acompanha.

VAMOS VIVER O AGORA

Mas cada minuto vivido ao lado deles vale muito a pena. Então lhe convido a tentar viver mais o agora, aproveitando cada detalhe e cada segundo, dessa maravilhosa viagem que é ser mãe. O mágico disso tudo é que eles nos fazem melhor, sempre.

Outro dia mesmo eu estava revendo uns vídeos de quando eles eram menores, Santo Deus que saudades desse tempo, e que aperto no coração. Mesmo aproveitando muito, sei que poderia viver mais o aqui e agora com eles, sinto que somente dessa forma estarei aproveitando de verdade.

Hoje em dia quando entro no banho com eles tento aproveitar aquele momento ao máximo, sem me preocupar com mais nada. É um exercício diário, difícil e compensador.  Mesmo sabendo que após o banho terei que dar o jantar, fazer a lição de casa, ler umas páginas de algum livro, coloca-los para dormir, etc, etc, etc, mesmo assim, tento focar no aqui e agora, e sentir como é bom poder estar ali com eles, naquele momento único que não voltará.

Como diz o Lulu Santos “Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Tudo passa, tudo sempre passará”.

Nós mães, estamos sempre com pressa, porque acumulamos muitas funções: motorista, professora, educadora, administradora do lar, trabalho, levar filho ao médico, dentista, inglês, fazer esporte, ufa, canso só de escrever. Como estamos sempre esgotadas, nos esquecemos de viver o momento, comigo pelo menos é assim.Então o que tento fazer é isso, escolher algum momento do dia para sentir o prazer de estar com eles naquele instante, tirando da cabeça todas as outras preocupações. Outro dia mesmo, jogando Imagem e Ação com eles, sem me preocupar com a lição por fazer, o jantar para servir e o banho para tomar, somente fazendo uns desenhos horrorosos que eles não conseguiam acertar, já que eu sou péssima nessa arte, foi só risada. Atrasou tudo, foram jantar dez horas da noite, mas e daí? Por cada risada escutada, valeu, e como valeu. E o sentimento de culpa? Ah esse eu mandei dar uma volta, as vezes ele volta, mas mando ele embora novamente, e assim vou vivendo e aproveitando a vida com eles.

 

Gostou desse texto? Compartilhe com seus amigos.

Texto escrito por Renata Allegrini

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *